Facebook Galeria dos Arcos e Galeria Lunara

www.facebook.com/galerialunara



terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Galeria dos Arcos apresenta mostra Vida de Cadeirante

A Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre inaugura em 10 de dezembro de 2014, às 19h30, a exposição Meio Fio – Vida de Cadeirante”,  de Tadeu Vilani e Jorge Aguiar, que ocupará a Galeria dos Arcos (térreo da Usina do Gasômetro) até 25 de janeiro.
 
Jorge Aguiar
  O projeto fotográfico teve início em janeiro de 2012, quando os fotógrafos Jorge Aguiar e Tadeu Vilani, perceberam a dificuldade encontrada por um casal de cadeirantes para se locomoverem utilizando transporte público, já que os ônibus não estão preparados para transportar dois cadeirantes na mesma viagem. Com a proximidade da copa do mundo de futebol no Brasil, decidiram contar como é o cotidiano da vida de um cadeirante.

Para a execução deste trabalho, os fotógrafos acompanharam durante dois anos o casal Lino e Adriana, de Alvorada; Marcos que vive no Porto Seco, vendendo balas pelas avenidas; Vanderson, um jovem do bairro Bom Jesus, esgrimista, promessa para o esporte brasileiro e, finalmente, a Minéia, que reside no bairro Liberdade, próximo a Arena do Grêmio.

Tadeu Vilani
 Os fotógrafos citam as palavras de Lino, que os marcaram profundamente durante esta empreitada: "A deficiência das pessoas é não aceitar o outro do jeito que ele é".
Tadeu Vilani atua há 18 anos no jornal Zero Hora, começando a exercer a profissão na sucursal de Santo Ângelo, posteriormente em Passo Fundo e, desde 2008, em Porto Alegre. Paralelamente ao fotojornalismo, desenvolve documentários fotográficos no Rio Grande do Sul.

Jorge Aguiar é natural de Porto Alegre e atua há 40 anos no fotojornalismo. Desde 1996, desenvolve o projeto Luz Reveladora Photo da Lata, ministrando oficinas de Pinhole a jovens e adultos em áreas de vulnerabilidade social, onde também realiza projetos fotodocumentais.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Resultado Edital Ocupação Galerias

Comunicamos o resultado do Concurso 21/2014 - Edital para Ocupação da Galeria dos Arcos e da Galeria Lunara / 2015.
A Comissão de Seleção, composta por Carla Joner, Eduardo Veras e Francisco Dalcol selecionou os seguintes projetos:
GALERIA DOS ARCOS
Larissa Valim
Marcelo Chardosim
Marian Starosta
GALERIA LUARA
Alexandre da Silva Medeiros
Manoela Furtado
Filipe Rossato
Parabenizamos todos os selecionados e estendemos nossa admiração àqueles que, infelizmente, não tiveram seus trabalhos selecionados, mas que apresentaram projetos de altíssimo nível.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Espaço de Conflito segue até dia 30 de novembro


Pequenos instantes e diferentes estados de energia revelam o universo dramático da simplicidade de uma ação. Embalados pela expressividade da criação, as imagens perturbam e desequilibram.
Espaço de Conflito esteve em versão ampliada no Teatro Solís em Montevidéu através de seleção do edital internacional do Centro de Fotografía de Montevidéu e é também a série que deu os primeiros passos na concepção do próximo trabalho Desordem que será lançado ainda este ano em formato de livro e exposição.

Fernanda Chemale é fotógrafa e artista visual, desenvolvendo as vertentes documental e autoral. Suas obras estão nas coleções do Museu de Arte de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea do RS,  Fundación de Foto Y Cine Latinoaméricano de Paris e Museu dos Descobrimentos em Portugal. Faz exposições regularmente no Brasil e exterior, tendo exibido suas imagens em Buenos Aires, Rio de Janeiro, FotoRio; Fotoseptiembre USA-SAFOTO, Estados Unidos; Festival Fotograma, Uruguai; FestFotoPOA, Transatlântica PhotoEspaña; Japão e Suíça entre outros. É autora dos livros “Tempo de Rock e Luz” e “ElefanteCidadeSerpente”.



Espaço de Conflito
Fernanda Chemale
Local: Galeria do Arcos -  Usina do Gasômetro
Av. Presidente João Goulart – térreo
Abertura: 18 de setembro de 2014 – às 19h
Visitação: de terça a domingos das 11h às 20h
até 30 de novembro de 2014
51 3289.8133
Entrada Franca
Apoio Cultural: Go Image - www.goimage.com.br

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

EDITAL PARA OCUPAÇÃO DA GALERIA LUNARA E GALERIA DOS ARCOS ABRIRÁ INSCRIÇÕES EM NOVEMBRO


A Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre – PMPA comunica que estará recebendo, de 17 a 21 de novembro de 2014, inscrições de projetos da área audiovisual (fotografia, vídeo e vídeo-instalações), de artistas interessados em realizar exposições na Galeria Lunara ou Galeria dos Arcos, no ano de 2015.

Serão selecionados até 03 projetos para cada uma das galerias que, além da cedência de espaço para exposição, receberão premiação no valor de R$ 2.000,00 (Dois mil reais) cada, além de divulgação institucional da exposição na imprensa, mailing virtual, blogs e redes sociais.

Os períodos de realização das exposições serão definidos posteriormente pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da SMC, em comum acordo com os artistas cujos projetos tenham sido selecionados, sendo que os artistas serão responsáveis pela montagem e desmontagem da exposição.

Os projetos inscritos serão avaliados por uma Comissão de Seleção formada por 01 representante da Secretaria Municipal da Cultura e 02 profissionais vinculados ao meio e, para participar, os artistas devem apresentar ficha de inscrição, portfólio contendo currículo e fotos dos trabalhos a serem expostos (DVD, no caso de trabalhos em vídeo) e projeto da exposição.


Para fazer download do regulamento


Informações e regulamento completo
Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia
da Secretaria Municipal da Cultura,
com Lurdes Krás
Usina do Gasômetro, 3º andar
Fones (51) 3289 8133 ou (51) 3289 8135




Cronograma
Inscrições: de 17 a 21 de novembro de 2014
Seleção dos Trabalhos: 27 de novembro de 2014
Devolução dos Portfólios: de 08 a 12 de dezembro de 2014

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

O ÊXTASE DA INTERPRETAÇÃO SOB A ÓTICA DE FERNANDA CHEMALE


A Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre inaugura em 18 de setembro, às 19h, a exposição Espaço de Conflito, de Fernanda Chemale, que ocupará a Galeria dos Arcos  até o dia 9 de novembro.  



A exposição é composta por 20 imagens que reverenciam a cena teatral num recorte autoral sobre o êxtase da interpretação. Personagens em vertigem são “o ponto de partida”. Pequenos instantes e diferentes estados de energia revelam o universo dramático da simplicidade de uma ação. Embalados pela expressividade da criação, as imagens perturbam e desequilibram.
No mês em que toda a cidade se mobiliza em torno do Porto Alegre em Cena, nada melhor que conferir cenas de espetáculos já apresentados na cidade, para reviver emoções.

Espaço de Conflito esteve em versão ampliada no Teatro Solís em Montevidéu, através de seleção do edital internacional do Centro de Fotografía de Montevidéu, e é também a série que deu os primeiros passos na concepção do próximo trabalho da artista, intitulado Desordem, que será lançado ainda este ano em formato de livro e exposição.

Fernanda Chemale é fotógrafa e artista visual, desenvolvendo as vertentes documental e autoral. Suas obras estão nas coleções do Museu de Arte de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea do RS,  Fundación de Foto y Cine Latinoaméricano de Paris e Museu dos Descobrimentos em Portugal. Faz exposições regularmente no Brasil e exterior, tendo exibido suas imagens em Buenos Aires, Rio de Janeiro, FotoRio, Fotoseptiembre USA-SAFOTO, Estados Unidos; Festival Fotograma, Uruguai; FestFotoPOA, Transatlântica PhotoEspaña; Japão e Suíça,  entre outros. É autora dos livros Tempo de Rock e Luz e ElefanteCidadeSerpente.

“O teatro acontece em nossas vidas da maneira mais visceral possível: no tempo presente. Depois fica a recordação inebriante que foi viver as cenas abrigadas naquele espetáculo, o espaço, a estória, e o conflito que aconteceu no palco e permanece na memória. Uma arte que existe no tempo que urge, na emoção inserida na representação, efêmera em sua modéstia. Isso é o teatro, a expressão da ficção no tempo real.”
Gisela Rodriguez


Espaço de Conflito - Fernanda Chemale

Galeria do Arcos
Av. Presidente João Goulart – térreo da Usina do Gasômetro
Abertura: 18 de setembro de 2014 – às 19h
Visitação até 9 de novembro -  de terça a domingos das 11h às 20h


Informações 51 3289.8133
Entrada Franca
Apoio Cultural: Go Image - www.goimage.com.br

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

LISETTE GUERRA EXPÕE FOTOS SOBRE CUBA NO 2º ANDAR DA USINA DO GASÔMETRO




A Secretaria da Cultura de Porto Alegre, através da sua Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia, inaugura no próximo dia 7 de agosto, às 19h, a exposição Cuba, da fotógrafa Lisette Guerra. A exposição reúne mais de 50 fotografias – realizadas ao longo de diversas viagens da fotógrafa gaúcha à ilha caribenha entre 2009 e 2013 – e acontece no segundo andar da Usina do Gasômetro, oferecendo ao público um registro das cores, belezas naturais, arquitetura, expressões culturais, gastronomia e principalmente do povo cubano, que, apesar das dificuldades, não perdeu a alegria, a criatividade e a musicalidade.

A exposição é acompanhada por um livro, cujas imagens traduzem o encantamento da fotógrafa por Cuba, motivado, inicialmente, pela dança e pelos ritmos musicais da ilha. Esses foram os pontos de partida para a jornada da fotógrafa pelo país insular caribenho, que começou pela capital, Havana, com sua importância histórica, e seguiu para o interior cubano, onde Lisette testemunhou o cotidiano de pequenas cidades, locais históricos e visitou praias paradisíacas.
 “Mesmo que não seja uma visão integral da realidade do país – que às vezes é dura também, como em tantos outros países do mundo –, criei minha ficção possível a partir do que se mantém como mais encantador em Cuba: a cultura das pessoas, a solidariedade que cultivam, a aura poética dos casarios antigos, o ar de nostalgia, a natureza exuberante, a população tão afetuosa quanto a brasileira”, afirma Lisette sobre seu trabalho.
O livro Cuba tem 300 páginas, formato 27cm x 27cm e capa dura, e poderá ser adquirido ao longo da exposição. O texto de apresentação é assinado pelo escritor Ignácio de Loyola Brandão, que relembra um pouco da história da revolução socialista na ilha e seu envolvimento pessoal com o país.

 “À medida que passava e repassava estas imagens feitas por Lisette Guerra, trazendo o cotidiano de um país, usos e costumes, gente, rostos, risos, olhos, crianças, namorados, charutos, portas coloridas, fachadas, ruas, praças, quadros, músicos, percebi que tive várias Cubas em momentos diferentes e com personagens variados”, descreve Brandão. Loyola ainda se refere ao trabalho da autora como sendo “portraitista”, com fotos "cheias de afeto e ternura”. Segundo ele, se o criador não se apaixona pelos seus personagens, tudo perde a autenticidade. “Como Lisette se entrega, os cubanos se entregaram também. Eis os fragmentos de um país que tem tanto a ver com o Brasil na pele, no cheiro, na musicalidade, na sensualidade, nas cores”, enfatiza o escritor.

A exposição Cuba permanece em cartaz até 14 de setembro e pode ser visitada de terças a domingos, das 9h às 21h. A entrada é franca.

Sobre a autora

Formada em jornalismo e publicidade, Lisette Guerra, gaúcha, começou a fotografar profissionalmente nos anos de 1980. Ao longo de duas décadas, publicou suas imagens no jornal Zero Hora. Trabalhou com algumas das mais importantes modelos brasileiras, que confirmaram o gosto, o talento e a sensibilidade da fotógrafa-jornalista diante de seu tema favorito: gente. Fez diversas exposições individuais e suas fotos estiveram em exibição em New York, Buenos Aires, Roma e nas principais capitais brasileiras. No começo dos anos 2000, foi correspondente, na Itália, da revista Quem Acontece e, paralelamente às atividades no fotojornalismo e na publicidade, investiu em outra de suas paixões, os livros. É autora dos livros Retrato de Modelo (Jornal Zero Hora e L&PM Editores), Pai & Mãe: Visão Singular de um Tema Eterno; e coautora de Figurino – Uma Experiência na Televisão (Editora Paz e Terra).

 CUBA
LISETTE GUERRA
Abertura dia 07 de agosto, às 19h
segundo andar da Usina do Gasômetro
Visitação de 08 de agosto a 14 de setembro
de terças a domingos, das 10 às 20h

Contatos 
galeriadosarcos@gmail.com
guerralisette@gmail.com
www.lisetteguerra.com.br

terça-feira, 22 de julho de 2014

O JARDIM DE LEANDRO MACHADO

 A Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre inaugura em 24 de julho de 2014, às 19h, a exposição O Jardim, de Leandro machado, que ocupará a Galeria dos Arcos (térreo da Usina do Gasômetro) até 14 de setembro.
Leandro  estará apresentando, nesta exposição,  seu jardim particular, formado por fotografias e instalações com plantas ornamentais e outros objetos da natureza.
Leandro é formado em Artes Plásticas – Bacharelado e Licenciatura pela UFRGS, com especialização em Saúde Mental (Hospital Psiquiátrico São Pedro), tendo realizado Residência Integrada em Saúde na Escola de Saúde Pública em 2007.  Já realizou individuais na Casa de Cultura Mário Quintana (1998 - Fragmentos); Galeria Iberê Camargo (2004 - NEGRO BLACK NOIR); Atelier Subterrânea (2007 - Deslocamento, trajeto e percurso). Galeria Arte e Fato (2011 – Ferpa no Coração) e Jabutipê (2012 -  O paraíso fica bem perto do inferno), além de várias exposições coletivas.


Nas palavras do artista:
O jardim, ocupando o pátio por completo, acessa o interior da casa pelas janelas, portas e frestas. O corpo [esta casa onde existo] também se vê habitado por ele. As plantas ligam o lugar onde moro a outros lugares [e pessoas a outras pessoas e lugares].
Do reino vegetal, tão complexo e numeroso, desconheço quase que a totalidade [ainda que me refira apenas às espécies que habitam os mesmos territórios aonde, com frequência, vou e venho – a vila Pitinga, a cidade de Porto Alegre, a Grande Porto Alegre e algumas localidades da região leste do Rio Grande do Sul]. O que faço é distinguir e comparar cores, texturas, tamanhos, cheiros, flores e frutos, a outros já vistos. Mesmo tendo a noção do tamanho da minha ignorância frente a este assunto [e a outros tantos], não vejo como impedimento conversar sobre o que desconheço.
Tendo a liberdade que a Arte permite, aproximei palavras que exprimem sentimentos, estados de espírito e imagens de plantas. Instigado pela ideia de que se as plantas em geral nos remetem a beleza, a ternura, a vida [numa leitura romantizada e distante], as palavras que tentam traduzir as reações humanas situam-se entre o abominável e o sublime. Então como seria um diálogo desta ordem - de relações harmônicas e contraposições, de tensionamentos em maior ou em menor grau? Na tentativa de desdobrar o pensamento inicial, alargando os sentidos do discurso e as possíveis leituras, me coloquei na busca por uma interação de um modo mais direto com a terra e as plantas.
O uso da imagem, da escrita e de alguma poesia são recursos que me ajudam a entender esta contradição que sou eu.
Sobre as plantas, assim como sobre a vida, ainda sei tão pouco [com partes de sol e sombra].


O Jardim
Leandro machado
Abertura 24 de julho, às 19h
Visitação até 14 de setembro, de terças a domingos
Galeria dos Arcos - térreo da Usina do Gasômetro
Informações: 3289 8133



segunda-feira, 9 de junho de 2014

NEBLINA - Mostra panorâmica do novo acervo de fotografias do MACRS


Mostra panorâmica do novo acervo de fotografias do MACRS, com curadoria da artista Elaine Tedesco, ocupa a Galerias dos Arcos e a Galeria Lunara, na Usina do Gasômetro,
a convite da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre

Rochele Costi

No dia 11 de junho de 2014, quarta-feira, a partir das 19h, a Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre e o Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul realizam o coquetel de abertura da exposição NEBLINA − A FOTOGRAFIA NO ACERVO DO MACRS. A exposição, que é um dos eventos especialmente concebidos pela Secretaria da Cultura de Porto Alegre como parte da programação cultural paralela à Copa do Mundo, reúne mais de 40 artistas, entre nomes renomados e novos talentos que usam a fotografia como suporte para suas investigações artísticas. Entre os artistas participantes, estão nomes como Alberto BitarCarla Borba,Carlos PasquettiClovis DarianoDione Veiga VieiraFernanda Chemale,  Jailton Moreira, Jacqueline Joner, Luiz Carlos FelizardoLuiz RoqueMarina CamargoRaul KrebsRochele CostiRomy Pocztaruk e Vera Chaves Barcellos

O boletim meteorológico, irradiado às dez horas da noite, há vários dias começa com a mesma sentença: “depois da dissolução de neblinas matinais persistentes...” E, efetivamente, toda manhã, ultimamente, acordo com aquela luz leitosa de um sol que não consegue romper os véus que o encobrem. Infelizmente, trata-se de situação tão carregada de literatura e de chavões que tenho grande dificuldade em vivenciá-la concretamente. A neblina matinal está “encoberta de densa neblina ideológica” que precisa ser removida para eu poder ver a neblina não metafórica lá fora. Esse esforço de remoção mostrará que é possível dividir a humanidade
em dois tipos: os que gostam, e os que não gostam da luz difusa.

Flusser

Mariana Silva da Silva
Conforme a curadora Elaine Tedesco, a exposição Neblina tem como plano de fundo ensaios do livro Natural:mente, escrito por Vilém Flusser, suas divagações sobre a natureza e o que é natural ou artificialmente incorporado como natural na nossa cultura e, consequentemente, em nosso modo de ver, perpassado pela fotografia. As imagens das obras foram escolhidas como se estivessem num reenquadramento fotográfico, um contato do olhar da curadora com a superfície como meio que possibilita um afastamento do presente, que a aproxima de situações vividas e dos processos e procedimentos desenvolvidos pelos artistas. Na montagem da exposição, o conjunto de fotografias exposto, em cada corredor da Galeria dos Arcos, apresenta uma narrativa, sugerindo climas entre diferentes lugares, personagens, tempos. Cabe ao observador escolher como quer ver as imagens: em meio à “neblina” ou ultrapassando-a, chegando à superfície das fotografias.

Raul Krebs
A presente exposição celebra a segunda parceria entre a Coordenação de CinemaVídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre e o Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul – a primeira foi em 2012, com a exposição Sob Constante Ameaça – e assinala o desejo de destacar o acervo de fotografias do MACRS, instituição que vive um excelente momento (fato reconhecido na última edição do Prêmio Açorianos de Artes Plásticas, na qual o Museu foi contemplado na categoria Destaque Espaço Institucional), dando visibilidade a um conjunto significativo de trabalhos que exploram as diferentes possibilidades da pesquisa fotográfica no âmbito da arte contemporânea.

Yuri Firmeza
___________________________________________

A sensação de ver o mundo envolto pela neblina pode ser comparada a forma como vemos, queremos ver ou imaginamos produzir uma fotografia. Embora pareça contraditório o artista que cria uma cena “na neblina” precisa primeiro “remover a névoa” de seu olhar, necessita ver diretamente, antes de mirar através do aparelho captador de imagens. A curadoria da mostra Neblina tem como plano de fundo ensaios do livro Natural:mente, escrito por Vilém Flusser, suas divagações sobre a natureza e o que é natural ou artificialmente incorporado como natural na nossa cultura e, consequentemente, em nosso modo de ver, perpassado pela fotografia. Atualmente o conjunto de fotografias do acervo do MACRS é uma constelaçãoonde coexistem múltiplas vertentes fotográficas. Seguindo o pensamento de Flusser, pode-se resumi-las em apenas duas vertentes: “a dos que gostam e a dos que não gostam da luz difusa”. Para a mostra as imagens foram escolhidas como se estivessem num reenquadramento fotográfico, um contato de meu olhar com a superfície como meio que possibilita um afastamento do presente, que me aproxima de situações vividas e dos processos e procedimentos desenvolvidos pelos artistas. Na montagem da exposição, o conjunto de fotografias exposto, apresenta uma narrativa, sugerindo climas entre diferentes lugares, personagens, tempos. Cabe ao observador escolher como quer ver as imagens: em meio à neblina ou ultrapassando-a, chegando à superfície das fotografias.

Elaine Tedesco
Curadora

__________________________________________________________________

ARTISTAS PARTICIPANTES

CURADORIA
Elaine Tedesco
ARTISTAS DO ACERVO

Alberto Bitar
Alexandre Sequeira
Beatriz Rauscher
Breno Rotatori
Camila Sposati
Carla Borba
Clovis Dariano
Dione Veiga Vieira
Dirnei Prates
Ena Lautert
Fabio Del Re
Fernanda Chemale
Gilberto Perin
Denise Helfenstein e Gustavo Diehl
Igor Sperotto
Jacqueline JonerJailton Moreira
Kátia Costa
Katia Prates
Leandro Selister
Leopoldo Plentz
Letícia Lampert
Letícia Ramos
Letícia Remião
Luiz Carlos Felizardo
Luiz Eduardo Robinson Achutti
Maria Ivone dos Santos
Mariana Silva da Silva
Mariane Rotter
Marília Bianchini
Marina Camargo
Nathalia Grill
Neca Sparta
Nick Rands
Rafael Pagatini
Raul Krebs
Rochele Zandavalli
Rochelle Costi
Romy Pocztaruk
Sandra Rey
Tiago Coelho
CONVIDADOS ESPECIAIS
Ana Torrano
Carlos Pasquetti
Luiz Roque
Vera Chaves Barcellos



NEBLINA

Abertura dia 11 de junho de 2014, quarta-feira, às 19h
Visitação de 12 de junho a 20 de julho de 2014
Terça a sexta-feira, das 9h às 21h
Sábados e domingos, das 10h às 21h

Galeria dos Arcos e Galeria Lunara
Térreo e 5º andar da Usina do Gasômetro
Av. Presidente João Goulart, 551


Entrada Franca

sexta-feira, 2 de maio de 2014

ASFIXIA, DE RICARDO NEVES NA GALERIA DOS ARCOS



A Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre inaugura dia 08 de maio de 2014, às 19h, a exposição Asfixia, de Ricardo Neves, que ocupará a Galeria  dos Arcos (andar  térreo da Usina do Gasômetro) até 08 de junho.  

O ensaio busca mostrar como a paisagem da cidade reflete as relações sociais que nela se estabelecem. Questões como a opressão, o bullying e a privação das liberdades também aparecem na arquitetura que nos é mostrada, mas, assim como na sociedade, nem sempre é vista.

A cidade verticalizou-se não observando recuos ou espaços que permitissem a respiração das construções. Restam, em vários locais, edificações muito altas comprimindo uma mais baixa. Para o observador  mais atento da paisagem, fica a sensação de asfixia dos prédios menores, que são privados da luz e do ar a que teriam acesso se não estivessem nesta condição.
Mas, como se formou o panorama atual? O menor lá estava e foi emparedado pelos maiores? Ou isto aconteceu paulatinamente, primeiro um e, como não houve reação, veio o outro?  Ou ainda, os maiores lá estavam e o pequeno entre eles chegou, por ser melhor estar ali do que em lugar nenhum?

Ricardo vive e trabalha em Porto Alegre e sua formação inclui diversos cursos no SENAC, Atelier Livre e  Fabico/UFRGS. Recentemente participou da oficina de Cláudio Edinger no Canela Foto Workshops e do XIII Concurso Sioma Breitman de Fotografia - Câmara Municipal de Porto Alegre.
Faz parte do portfólio da Werra Fotogaleria ( werrafotogaleria.com.br)


Asfixia
Ricardo Neves
Galeria dos Arcos
(andar térreo da Usina do Gasômetro)
Abertura dia 08 de maio, às 19h.
Visitação até 09 de maio a 08 de junho de 2014

de terças a domingos -  das 9 às 21h

terça-feira, 25 de março de 2014

GALERIA DOS ARCOS RECEBE XXII SALÃO INTERNACIONAL DE DESENHO PARA IMPRENSA

Imagem inline 1


O  Salão Internacional de Desenho para Imprensa visa estimular e divulgar a expressão gráfica aplicada à imprensa, além de atribuir premiações a suas cinco categorias: Cartum, Charge, HQ, Caricatura e Ilustração Editorial.
Durante seus 22 anos de vida, o Salão se consolidou como um dos principais meios de promoção e divulgação do produto gráfico brasileiro, além de contar com a participação de artistas gráficos de países como China, Turquia, Alemanha, Ucrânia e Estados Unidos, entre outros.

Homenageado – Rafael Corrêa
Galeria Iberê Camargo
          O artista homenageado do XXII SIDI é o cartunista Rafael Corrêa, autor do personagem de tirinhas Artur, o Arteiro, com o qual tem dois livros publicados: Direto pro SOE! (2006) e Piolhos Invaders (2007). É editor do zine Rato Falho e ganhou prêmios em salões de cartum pelo Brasil e pelo mundo. www.rafaelcartum.blogspot.com

Mostra Quadrinhos Originais
Curadoria: Bruno Ortiz
Galeria do 4° andar
          Paralelamente ao Salão, acontecerá a Mostra QUADRINHOS ORIGINAIS. O objetivo é apresentar ao público uma parte não conhecida do processo de criação de HQs, com a exibição de originais de trabalhos já publicados ou ainda em andamento. Nomes já consolidados dos quadrinhos, bem como novos e promissores artistas emprestam seu talento para este evento, mapeando a produção das HQs autorais gaúchas. Na inauguração da mostra, será realizada uma Feira de Quadrinhos com os trabalhos dos artistas em exposição.


XXII SIDI:

Abertura: 27 de março às 19h
Visitação: 28 de março a 27 de abril de 2014
de terças a domingos
das 9h às 21h

Local: Usina do Gasômetro
Av. Presidente Goulart, 551
Centro Histórico – Porto Alegre/RS


terça-feira, 7 de janeiro de 2014

2010

07/01 a 07/02
André Cypriano - Quilombolas

25/02 a 21/03
Paulo Bakes - Árvores do Sul

14/05 a 13/06
Walter Firmo - Sem Nomes

25/06 a 25/07
Tarcisio Costa
Tapumens

05/08 a 05/09
Bruna Conforte e Grupo  -  Transver

09/09 a 10/10
Grupo Baita Profissional 

13/10 a 07/11
Usina do Papel - Lago: Lugar de Vida

25/11/2010 a 03/01/2011
Avalanche - Paraísos perdidos Séc. XX


2009

Bernhard Wicki – Fotografias
De 12 de maio a 28 de junho – Galeria dos Arcos
Exposição realizada em parceria com Goethe Institut

Panorâmica - ESPM / FEEVALE / FABICO
De 9 de julho a 9 de agosto – Galeria dos Arcos
Exposição de alunos das 3 instituições convidadas pela CCVF

Ana Zveibil – Corpos em Trânsito
De 13 de agosto a 13 de setembro – Galeria dos Arcos

Mostra 70 Anos 2ª Guerra Mundial - Consulado da Polônia
De 16 de setembro a 12 de outubro de 2009.

Exposição organizada pelo Consulado geral da Polônia

2008

Fernanda Chemale  - Elefantecidadeserpente
De 8 de Maio a 8 de Junho de 2008 – Galeria dos Arcos
Projeto financiado pelo Fumproarte

Letícia Lampert – des-construções
De 11 de Junho a 13 de julho de 2008             

Maria Sol Casal – Muô
De 17 de julho a 17 de agosto


Usina do papel
De 25 de setembro a 5 de outubro – Galeria dos Arcos

Bruno Barreto – Inventário
De 20 de novembro de 2008 a 25 de janeiro de 2009 – Galeria dos Arcos
Projeto financiado pelo Fumproarte

Graziela, Brasileira, Viúva, RG 1023330102 – Coletiva de fotografia

De 9 de outubro a 9 de novembro de 2008 – Galeria dos Arcos

2007

1906 – Uma Machina Veloz na Cidade
De 07 de fevereiro a 11 de março na Galeria dos Arcos
Projeto organizado pela Coordenação da Memória Cultural e Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia, registrando os 100 anos da chegada dos primeiros automóveis a Porto Alegre.

José Paiva - Expedição Natureza
De 23 de março até 10 de abril na Galeria dos Arcos
artista convidado

Elaine Tedesco - Guaritas
De 16 de Abril a 20 de Maio na Galeria dos Arcos

Exposição integrante do Projeto: Segurança: o Público e o Privado na Esfera Contemporânea que apresentou ainda ciclo de filmes e debate sobre o tema.

2006

Douglas Dickel - Mínimo Intenso

De 16 de fevreiro a 12 de março de 2006

Projeto financiado pelo Fumproarte


Kátia Prates - Árvores, Paisagens, Horizontes
De 23 de Março a 30 de abril de 2006
artista convidada

Resgate da Cidadania - Grupo 35 mm
De 9 de maio a 18 de junho de 2006 – Galeria dos Arcos


FOTOGRAFIA SEM LIMITES
Duas exposições aconteceram paralelamente nas galerias Lunara e Arcos.

Câmara Rasgada, com curadoria de Gabriela Motta
com  obras de Alexandre Moreira, Aline Essenburg, Carla Borba, Eduardo Haesbaert, Elaine Tedesco,  Ethiene Nachtigal, Hedy Backhaus, Leticia Cardoso, Mariana Silva da Silva, Mariane Rotter,  Paula Krause,  Ruth Sousa, Tiago Giora e Vilma Sonaglio
De 09 de agosto a 10 de setembro de 2006 na Galeria dos Arcos
parte do projeto Fotografia sem Limites


Portfólio - Marcelo Donadussi

De 26 de setembro a 25 de novembro de 2006 – Galeria dos Arcos